Sísifo e o sentido da vida

Sísifo e o sentido da vida por Andre Kummer
Imagem do Google

Sísifo é um personagem famoso da mitologia da Grécia Antiga. De acordo com a lenda, após desrespeitar as ordens de Zeus, deus dos deuses, este mandou a morte levar Sísifo para a terra dos mortos que era governado por Hades.

Sísifo enganou a morte, elogiando sua beleza e oferecendo-lhe um colar. Este colar era na realidade uma coleira, fazendo com que Sísifo conseguisse manter a morte como sua prisioneira. Assim, durante este tempo, nenhuma pessoa na Terra podia morrer.

Hades, ao descobrir o ato de Sísifo, ficou com muita raiva e libertou a morte, ordenando que ela levasse Sísifo imediatamente para o mundo dos mortos.

Ao se despedir de sua esposa antes de ir para a terra dos mortos, Sísifo pediu-lhe para que não enterrasse o seu corpo, pois tinha um plano.

Ao chegar na terra dos mortos, o esperto rei suplicou para que Hades deixasse ele voltar ao mundo dos vivos, alegando que a sua esposa ainda não tinha enterrado o seu corpo e precisava pedir para que ela fizesse isso rapidamente.

Hades acabou por conceder o desejo de Sísifo e permitiu que ele voltasse ao mundo dos vivos por um dia. Porém, o rei enganou a morte pela segunda vez e fugiu.

Zeus, o deus dos deuses, conseguiu capturá-lo e, por ter enganado e despertado a ira dos deuses, foi condenado a passar a eternidade empurrando uma pedra até o cume de uma montanha. No entanto, sempre que a pedra estava prestes a chegar ao seu objetivo, rolava montanha abaixo e Sísifo tinha que voltar a executar o trabalho todo novamente.

A penalidade que Sísifo tinha que cumprir não se baseava na dor física, nem na humilhação. Baseava-se, no fato de experimentar em primeira mão o absurdo.

Absurdo é algo que não tem sentido. A maneira pela qual damos sentido à vida muitas vezes é um absurdo. 

Qual o aspecto da vida que faz valer a pena viver? 

O prazer, por si mesmo, não faz com que nossas vidas valham a pena. Comer, dormir, fazer sexo, amar, ver e possuir coisas bonitas, e o prazer disso tudo, não necessariamente dá sentido a uma vida.

O que "pode" valer a pena é fazer com que nossas ações se encaixem em um projeto de vida que faça sentido... 
E qual esse sentido? Não sei.
A ciência, a filosofia, e mesmo a fé estão ai para tentar entender isso. Talvez um bom caminho para o sentido seja ler, conversar, estudar e pensar, porque aceitar a vida sem questioná-la, ou apenas para tentar se dar bem, como Sísifo, parece que só nos condena ao absurdo eterno.

Dizer que a vida faz sentido, é aceitar que para além das coisas há algo mais, uma história que estrutura e sustenta a realidade, mas nem sempre isso acontece, porque nem sempre as pessoas tem um sentido claro para na vida.

Na bíblia existe uma passagem em Tiago 4:14 que diz: Sois, simplesmente, como a neblina que aparece por algum tempo e logo se dissipa. 

Talvez a vida realmente não tenha sentido algum. A realidade é simples, existe e nada mais. 

Isso faz todo sentido porque nada do que possamos fazer nos libertará da morte, e por fim, em 7,5 bilhões de anos o Sol vai se apagar e nem o planeta existirá mais. 

O planeta Terra já existe há 4,54 bilhões de anos, e segundo os cientistas o homem inteligente só existe na Terra há 12 mil anos. Somos um espirro no tempo. 

7,5 bilhões de anos parece muito tempo e talvez você ache idiota se preocupar com isso. Sim, é idiota. Mas essa idéia de término pode nos dar uma perspectiva do sentido da vida.

Enquanto o sol não apaga, quem deseja abraçar um projeto para dar sentido à vida, não deve cair na armadilha da idéia de Sísifo, um trambiqueiro espertalhão, que tenta enganar a vida e a morte mas termina arrastando uma pedra para cima e para baixo... E observe: tem muita gente fazendo isso por aí.


Qual o sentido da sua vida?