Cada um decide o que é sucesso para si

Cada um decide o que é sucesso para si por Andre Kummer
Canva

Pelo que vejo, existem dois tipos de pessoas por aí.

Há aquelas que lêem livros sobre metas e se sentem inspiradas a mudar suas vidas, e eu.

Os primeiros vão ler sobre todos aqueles que pareciam azarados mas que conseguiram alcançar riqueza e prestígio além de seus sonhos mais loucos, e dirão a si mesmos: “Uau! Poderia ser eu! 

E depois sou eu. Até posso pegar um livro desses com interesse genuíno, mas ele me deixará qualquer coisa, menos inspirado. Se eu disser algo para mim mesmo enquanto leio, é provável que seja uma série de maldições e ironias.

Na verdade, descobri minha aversão por livros de sucesso e "autoajuda" por acidente. Fui cobrado no trabalho com a tarefa de desenvolver um curso on-line sobre o tema da realização de metas, e comecei a fazer algumas pesquisas.

No começo, tudo parecia fácil. Listas de tarefas? Eu posso ensinar isso. Articular uma visão para o futuro? Claro que posso! 
Mas então, quando comecei a me aprofundar um pouco mais, comecei a mergulhar em uma confusão de conselhos contraditórios:

Faça listas de tarefas e, em seguida, priorize-as por urgência. Outro livro dizia: Não, não por urgência, por importância, porque esse é o caminho para uma vida significativa. Um terceiro livro ou um coach de sucesso dizia que listas de afazeres são passado, a mentalidade agora é de  que "menos é mais" é o que irá gerar sucesso.

Eu penso que devemos apenas nos  certificar de que não estamos gastando muito tempo planejando nossas tarefas, porque isso nos afasta de trabalhar nelas. Embora a maioria dos projetos que falharam pudessem ter sido salvos por melhores estratégias de planejamento, eu sabia que isso não era tudo.

Eu sabia por experiência própria e por obeservar e trabalhar com outras pessoas que se fizesse todas as análises e revisasse todas as estratégias seria provável que nem inciasse o projeto.

Eu não tenho fé nas leis universais que agiram sobre pessoas como Gisele Bundchen, Oprah e J.K. Rowling e um fluxo interminável de outras histórias de sucesso. 
Por que? Porque acho que é tão possível mudar com pensamento positivo e meditação quanto com um pastel de nata. Para mim querer nem sempre é poder e conseguir.

Em algum momento, talvez apenas por diversão, comecei a considerar uma alternativa: E se a maioria das pessoas que conheço fossem diferentes do que os livros de sucesso e autoajuda falam? E se elas se sentissem orgulhosas de si mesmas tendo um trabalho bem pouco satisfatório, lucrativo ou glamoroso?

E se elas andarem de cabeça erguida simplesmente porque têm orgulho da vida comum que estão vivendo?

Essa idéia parecia subversiva, fortalecedora e, na verdade, nada menos que revolucionária.

Então... A verdade é que o sucesso não tem que significar uma casa de praia chique, ou levantar-se para falar em frente a um público lotado, onde todos sabem quem você é, o que faz e quanto vale.

Existe uma forma mais silenciosa e suave de sucesso.

Comecei a elaborar minhas próprias definições e princípios de sucesso. Coisas assim:

- Se você tem uma pessoa em sua vida com quem realmente se importa e que realmente se importa com você, você é bem-sucedido.

- Se você tem mais um pensamento positivo hoje do que teve ontem, você é bem-sucedido.

- Se você tem apenas uma coisa para se orgulhar, ou agradecer, ou celebrar, mesmo que seja apenas o fato de não ter arrancado a cabeça de ninguém, mesmo que tenha tido um dia infeliz, você é bem-sucedido.


Não me entenda mal. Eu sou totalmente a favor de estabelecer e alcançar metas. Eu também estou me esforçando para me tornar a próxima história de sucesso em um milhão, se é que isso funciona. Mas alcançar metas não pode ser um indicador do seu valor pessoal ou da falta dele.

É um triste sinal dos tempos em que o sucesso é medido apenas em termos extraordinários. É como se os pontos de referência de uma vida simples, comum e mundana estivessem agora obsoletos, ou pior: é algo para se sentir envergonhado.

É preciso muita coragem para fugir das expectativas grandiosas que os livros e gurus de sucesso dizem que a vida deve ser e dizer que o que você já tem é suficiente. Talvez até mais que suficiente.

Então, se você é como eu, entendeu que o sucesso é o que você faz dele, mesmo que isso signifique uma vida cotidiana, simples e comum.