Por que temos mais desejo sexual no início de um relacionamento e depois diminnui?

Por que temos mais desejo sexual no início de um relacionamento e depois diminnui por Andre Kummer
Imagem do Google

Sexo é como andar de bicicleta, a gente nunca esquece. Mas a verdade é que a freqüência das relações sexuais pode influenciar nosso desejo sexual. Tanto para o bem quanto para o mal.

Se o relacionamento é gratificante, nosso corpo pedirá que o experimentemos novamente para obter a satisfação que ele gera. Isso se deve ao sistema de recompensas. 

A lógica da recompensa é que durante as relações sexuais e a excitação ocorre a liberação endorfolinas, dopamina e serotonina, as mesmas que são liberadas quando comemos chocolate, fazemos compras agradáveis ​​ou exercícios físicos. 

Esses hormônios criam uma sensação de prazer e bem-estar, estimulando nosso sistema cerebral de recompensa, o que produz uma necessidade de reexperimentar o estímulo que os gerou.

Flutuações da libido

Mas se não desenvolvemos intimidade pessoal e de idéias com nossos parceirxs, o apego sexual não dura para sempre. Essa sensação, das endorfinas, será amortecida à medida que o tempo passa e as relações sexuais e nosso corpo esquecem o clímax previamente atingido, o que tornará tão necessário um novo romance e encontro sexual para alcançar o bem-estar.

A libido é o termo que usamos quando nos referimos ao desejo sexual, essa e a motivação que nos encoraja a fazer sexo. No entanto, não é algo estável ou que é mantido ao longo do tempo, pois os níveis de libido variam enormemente de uma pessoa para outra, e mesmo durante o dia, dependendo das características pessoais de cada indivíduo e fatores externos ao próprio assunto.

duração de um relacionamento poderá ser influenciada significativamente pela libido pois somos pura química. Uma grande parte de nossas ações, sentimentos e comportamentos são o resultado da combinação de reações bioquímicas que ocorrem em nosso organismo.

O estresse diário, uma dieta desequilibrada e a falta de sono, que também influenciam diretamente o desejo de ter relações sexuais. 

Mas não podemos ignorar a parte psicológica, não há um relacionamento de longo prazo realmente bom com quem não temos intimidade. Claro que isso também depende do nível cultural e intelectual de cada um.

Depois de um tempo sem ter relações, e sem sentir desejo pelo parceiro, nosso corpo se acostume não ter mais desejo, e até mesmo mostra reticência a um novo encontro. Neste caso, a resposta, ao invés de biológica, teria uma explicação psicológica. 

Quando mantemos relacionamentos assiduamente e isso é parte de nossa rotina, temos facilidade para relaxar e não pensar , porque há uma experiência positiva de intimidade, mas quando o tempo passa, e a mente não tem essa intimidade que gera segurança surge a angústia e a ansiedade.

Mas se seu caso é outro e solteiro e sem possibilidades de sexo é importante não parar de se conectar com a autossexualidade, pensar em sexo, fantasias, desejos, isto é, sentir-se erótico com o nosso corpo, estimular e incentivar o prazer.

No caso da situação ser complicada e você se sentir bloqueado, angustiado ou sob pressão, é preciso buscar um profissional para ajudar a gerenciar , a desfrutar de tudo como antes.