Sobre a fofoca e fofoqueiros

Sobre a fofoca e fofoqueiros por André Kummer
Getting Imagens

Antes de falarmos da pessoa fofoqueira, é preciso falar sobre a fofoca. Entenda que o ser humano é um ser essencialmente social, ou seja, se encontra em um contexto cultural, de onde recebeu formação, e que também lhe dá formação, de onde vive e atua. 

Então a fofoca é uma maneira de obter informações sobre os outros que pode orientar sobre como a pessoa pode conduzir sua própria vida ou garantir maior autoestima por meio de comparação com os demais, e também é uma forma de comunicação importante para a vida em sociedade.

A fofoca é uma ferramenta social muito útil para a promoção de uma rede de cooperação entre indivíduos com o objetivo de deter comportamentos antissociais. 

Esse pensamento nos ajuda a perceber que o ato de fofocar é muito mais complexo do que simplesmente uma “conversa fiada” ou para "denegrir" a imagem de alguém, mas é importante para a vida na sociedade.

Eu gosto de citar o historiador Maquiavel, autor de O Príncipe, onde escreve que a melhor maneira de fazer uma amigo é ter um inimigo em comum, ou seja, fofocar. A expresão Maquiavélico vem em referência a esse livro e autor, que tem interpretações e conselhos funestos para a vida.

A fofoca não acontece por si só, ela tem uma utilidade, boa ou má. Uma vez ou outra na vida, todos já devemos ter participado de uma fofoca, como autor ou como ouvinte. 

É interessante pensar sobre qual o tipo de utilidade da fofoca.

Um dos motivos mais comuns é para aliviar a ansiedade, pois conversar tem um grande poder de alívio de tensão psíquica. A fala é uma das expressões mais genuínas do psiquismo humano. Neste sentido, tanto falar, quanto escutar alguma informação de “x” ou “y” pode ser uma maneira de aliviar a ansiedade.

Outro possível motivo para que exista um fofoqueiro, seja ele ativo (o que dissemina a fofoca falando-a) ou passivo (escutando-a), é que a fofoca é uma das maneiras mais eficientes para a formação de sub-grupos dentro de grupos maiores: 

A fofoca se mostra como uma importante fonte de manipulação de poder dentro de grupos porque transforma o “fofoqueiro” como pessoa “referência” dentro de um grupo, um influencer. O fofoqueiro se coloca como aquele que “sabe de quase tudo sobre quase todos” e passa a ser um “conselheiro social” para pessoas mais inseguras.

Outro motivo para que uma pessoa se torne um fofoqueiro, pode ser a necessidade de denegrir a imagem de um concorrente. A pessoa tenta competir com outra que julga, mesmo que inconscientemente, seja seu concorrente.

Um fofoqueiro tóxico, usa a fofoca como uma maneira para lidar com a inveja não tratada, já que, abertamente, não existem outras maneiras socialmente aceitas para lidarem com a “inveja”, como matar o outro por exemplo.

A fofoca também pode servir ao fofoqueiro como maneira inconsciente de afirmação a si mesmo. Uma maneira para lidar com suas rejeições primárias: aqueles traumas que a pessoa sofreu no passado e que marcaram a sua maneira de perceber, sentir e agir no mundo.

A fofoca também tem grande utilidade no mundo do trabalho, e ela ocorre muito nessa área. A fofoca pode servir para tentar antecipar, prevenir ou remediar qualquer atitude que coloque em risco a estabilidade de uma pessoa ou um grupo. 

Geralmente as fofocas aparecem antes das demissões, avaliações, problemas na empresa, etc, porque está ligada à uma rede “informal” de comunicação que muitas vezes é mais eficaz do que os canais oficiais de informação de uma organização.

E como lidar com a fofoca/fofoqueiro?

A fofoca é como a brincadeira do “telefone sem fio”, pode começar contendo informações de conteúdo legítimo e ir se deformando na medida em que correr pelos demais “elos” da cadeia de informação. Sendo assim, um passo para lidar com fofoqueiros seria quebrar esta corrente. Não repasse o conteúdo adiante.

Mostre que você não é uma pessoa que está aberta para ser um mero transmissor ou receptor de fofocas. Isso pode até não te deixar impermeável para receber fofocas, mas irá te dar total legitimidade para condenar as que chegarem ao seu conhecimento.

Outro aspecto que pode te ajudar a lidar com as pessoas fofoqueiras é ser transparente em relação à sua vida. Isso não se trata de torná-la um livro aberto, mas fazer o mundo entender que a sua vida não é motivo para nenhum tipo de julgamento ou segredo para ninguém. 

Seja discreto. A discrição parece ser uma virtude em falta no atual nível de digitalização da vida social. Quando qualquer ato/fato serve de vitrine para uma afirmação de vida na internet através das redes sociais. Isso é um prato cheio para pessoas que parecem ter a fofoca como esporte.

Melhore sua autoestima. Existe uma séria relação entre autoestima e fofoca, como duas grandezas inversamente proporcionais, pois quanto mais fortalecida for a autoestima de uma pessoa, menos ela parece ser afetada por fofocas, e muito menos ainda parece sentir a necessidade de ocupar-se dela. 

A fofoca é algo relativamente natural na vida humana, mas a pessoa que tem grande necessidade de fofocar é um ser humano que tem dificuldades emocionais e falta de conteúdo intelectual para compartilhar.

O ser humano é cheio de limitações e carências, e é em suas imperfeições que ele se aperfeiçoa no caminho de sua existência. O homem é um ser de mudanças, e também, um ser de escolhas.