Por que a masculinidade é importante para homens gays

Por que a masculinidade é importante para homens gays por Andre Kummer
Imagem: Filme "300"

Meninos são treinados desde cedo a serem másculos, agressivos, alfa, poderosos, dominantes e reverenciados. À medida que crescem, aprendem a associar esses valores com base de um sistema que discrimina e inferioriza o diferente. 

Alguns homens gays pensam que ser másculo é o único caminho para serem atraentes e para o mundo os levantar a sério. 

Existem gays naturalmente másculos, que são alvo de muita cobiça, porque a masculinidade é um fator atraente, porque parecem garantia de proteção e sexo bom, e outros que fingem uma masculinidade que não têm. Suam frio mas não gritam quando veem uma barata.

Ser uma boa pessoa, um bom companheiro, um bom amante, um amigo, um chefe ou ser um membro amado de uma família, ou qualquer atributo relacionado a "ser homem" independem do quanto se é másculo. 


O tipo de pessoa que se ofende com ameaças a estereótipos e ofendem os outros por não serem isso ou aquilo são babacas. Essas pessoas causam muito estrago porque se incomodam com um homem afeminado ou uma mulher masculinizada. Mantém uma mentalidade dualista que não se sustenta mais.

Mas todos, independentemente da sua orientação, sofreram uma lavagem cerebral. Não é um ciclo fácil de se libertar. 

Quanto mais masculinos, melhor chance de obtermos respeito e sucesso. Quanto mais masculinos, mais atraentes ao mundo. Quanto mais masculinos, menos seremos magoados por ser gays.

Homens e mulheres vêem a masculinidade como sempre viram, como um símbolo do nosso valor no mundo, e todos querem ser alguém de valor. Nós sempre queremos agradar porque percebemos que é a única maneira de sobreviver. Sim, a masculinidade é importante. Mas no grande esquema das coisas, não deveria. Realmente não deveria.

Acabei de ver Pablo Vittar cantando na TV, sou fã sem nunca ter ouvido ele cantar. Eu leio sobre elx e como ganhou vários prêmios. Se ele canta bem ou não pouco importa para mim. Não entendo nada de música.

Sou fã de uma pessoa com coragem, um atributo genuinamente másculo, mas que pessoas disruptivas como Pablo, ajudam a mostrar que não estão ligados ao que você tem, ou não, no meio das pernas.

Algumas pessoas vieram ao mundo para mostrar que ninguém precisa ser isso ou aquilo para ter respeito, sucesso, ser atraente e viver feliz.