Notas para inspirar consciência

Notas para inspirar consciência por Andre Kummer
Imagem do Google

"Se estamos ocupados demais, se somos levados todos os dias pelos nossos projetos, nossas incertezas, nossas ânsias, como poderemos ter tempo para parar e olhar profundamente para a situação - a nossa própria situação, a situação do nosso amado, a situação da nossa família e da nossa comunidade, a situação de nossa nação e de outras nações? " Thich Nhat Hanh

A verdadeira consciência é ser capaz de observar e entender a vida como um espectador imparcial. 

Consciência pode ser um conceito estranho. Aqueles que foram correr na esteira da vida podem não compreender um conceito como consciência. 

Em poucas palavras, a consciência é simplesmente a capacidade de perceber, sentir ou estar consciente de eventos e circunstâncias que afetam nossas vidas. 

Vamos olhar para os diferentes níveis de consciência que encontramos em nossa vida diária. 

Em primeiro lugar, consciência não é o mundo físico em que vivemos. Coisas como a casa, móveis, iluminação, tapetes e todos os itens colecionáveis ​​que acumulamos. 

Não são seus vizinhos, o bairro e a cidade, os lugares que sabemos que estão lá, mas não podemos ver. 

Não é a natureza e todas aquelas coisas que nós precisamos para vida, como o ar, a água, vento, chuva, luz, temperatura, umidade e uma infinidade de animais e espécies de plantas. 

A maioria de nós, não todos, estão presos em seus próprios mundos para garantir que tudo corra bem. A consciência só se estende à vida imediata. 

Para a maior parte, a consciência está apenas no mundo físico. 

Mas a consciência está na forma como você sente o mundo.

É uma experiência que as pessoas que viajam muito conhecem. Ao menos aquelas que são peregrinas e não turistas.

Um turista é aquela pessoa que sai em busca de um lazer, vai conhecer um lugar diferente, viver experiências novas por um curto período de tempo e depois volta ao seu modo de vida anterior. Para o turista o mais importante é a vista que ele vai conhecer e as fotos que vai tirar e não o caminho que ele vai percorrer.

O peregrino não se preocupa com o tempo que vai gastar no caminho, pois sabe que o caminho é mais importante que a chegada. O peregrino caminha “por algo” em uma direção. E o caminho que faz é também um caminho de transformação interna. Se o peregrino assim quisesse poderia facilitar seu caminho usando transportes e meios mais rápidos para chegar, mas sua peregrinação não teria sentido, pois não voltaria transformado, os percalços do caminho o ensinam e ao vencê-los se mostra digno de chegar ao que busca. Para o peregrino o mais importante é o caminho percorrido, os aprendizados colhidos pelo caminho e as mudanças internas promovidas pelo aprendizado. 

Um peregrino nunca volta a mesma pessoa para a casa, pois os aprendizados o transformaram.

Por isso viajar se tornou algo tão desejado nas últimas décadas. De repente você pode estar lá, em algum lugar desconhecido, apenas observando tudo, completamente presente.

Até mesmo lavar pratos em uma pia na Rússia parece algo novo. Você está totalmente consciente, porque tudo é novo e diferente.

Então você volta e encontra sua mesma velha pia, os mesmos pratos, o mesmo tudo e então você deixa de estar consciente e entra no automático e espera a próxima viagem. 

Alguém me disse certa vez que a vantagem de curar uma depressão indo a Paris. Isso é verdade, agora você porque. 

Viajar torna você instantaneamente mais consciente do seu de algo maior que seu pequeno mundo interno. 

Mas a consciência não precisa de viagens para ser despertada. 

Uma famosa fábula Zen destaca esta consciência do momento presente. O estudante pergunta ao mestre "O que é iluminação?" O mestre responde: "Lavar o seu prato". 

Este exercício simples nos mostra que muitas das coisas que fazemos na vida acabam se tornando mecânicas. 

Toda a nossa existência pode se tornar mecânica, se nós deixarmos. Até mesmo amar pode se tornar mecânico. 

Temos que voltar a nos envolver com a vida e experiência da vida e tudo o que ela tem para oferecer em cada momento. 

Lave seu prato agora.