Existe um par perfeito para cada um de nós?

Existe um par perfeito ou um sapato torto para mim por André Kummer
Getting Imagens


Cada vez que você pensa que vai ser "feliz para sempre" em uma relação, esta sensação nunca durará muito.

Logo você estará dizendo: "por que não pôs a tampa da pasta de dentes?", "se realmente me ama, por que não presta mais atenção em mim?".

Logo todas as expectativas se transformam em sonhos destroçados e, em pouco tempo, começamos a ver nos outros coisas que não gostamos, ou em outras palavras - o que considero a contribuição mais importante disto - começamos a ver a nós mesmos.

E aí vai minha pergunta: "Como amar o outro se não amar a si mesmo?".

A resposta é: não pode.

Você não pode amar alguém até que sinta amor incondicional por si mesmo, porque, se não amar a sim mesmo, terminará julgando o outro pelas mesmas coisas que julga em si mesmo e não aceitará as coisas no outro que não aceita em si mesmo. 

Isto não significa que todas as relações são assim nem vão ser sempre assim ou que devemos deixar de tentar, não é isto o que estou dizendo.

Significa que temos que prestar atenção à relação mais importante que temos em nossas vidas: a relação conosco mesmos, e recordar que aquelas coisas que não gostamos no outro estão provavelmente em nós mesmos, em algum lugar.

Com frequência, a relação conosco mesmos é adiada até depois de termos cumprido nossa relação com o resto do mundo. Pensamos que amar a si mesmo é egoísta. No entanto, até que não aprendamos a amar a nós mesmos, nossas relações estarão cheias de necessidade e codependência.

É a necessidade que nos leva à conexão, quando sentimos que precisamos de alguém (ou algo) para sermos felizes, isso nos atrai ao outro. Provavelmente alguém que também acredita nisso.

Só existe amor de excassez quando você não ama a si mesmo. Não há espaço para o amor maduro 

Quando você ama a si próprio, suas relações são honestas e transparentes, não há medo de perder e você pode ser real e se mostrar exatamente como é, o que dá ao outro a liberdade para fazer o mesmo.

Se existe um par perfeito, além do que é cantado em letras românticas, não é a sua cópia em um espelho uma pessoa idealizada.

Existe um ditado: cada pé torto tem seu sapato torto. Você pode não gostar muito da idéia de imaginar que é um pé torto, mas a sabedoria do ditado tem sentido.

Talvez o par perfeito, estejam mais para um sapato torto, nada perfeito, mas que cabe direitinho e de forma bem gostosa no seu pé.