Por que o sexo é divertido?

Por que o sexo é divertido? por André Kummer
Casal divertido - Getting Imagens

Jared Diamond é o autor do livro que estou lendo “Por que o sexo é divertido?” da Editora Rocco. Jared é um biogeógrafo. Os livros dele, como "O terceiro chinpanzé" e "Armas, Germes e Aço", falam sobre evolução (sendo bem generalista).


“Por que o sexo é divertido?” é divertido de ler porque fala dos vários aspectos da sexualidade humana, como a privacidade do sexo, a batalha dos sexos, a lactação exclusivamente feminina, o sexo como diversão, os papéis masculinos, a evolução da menopausa, a ovulação oculta e porque nos fazemos sexo o tempo todo e não apenas em um período, como outras espécies que tem cio... 

Depois de uma grande quantidade de dados sobre a biologia das espécies e perguntas muito interessantes ele chega em um ponto ótimo: a evolução do sexo como diversão.

Jared tem suas teorias sobre isso, mas eu resolvi escrever sobre as pessoas que não tomam a iniciativa para se "divertir" em um relacionamento.

Eu tive dois grande romances na minha vida. Duas pessoas muito parecidas, ambas muito bonitas, com corpão, e daquela espécia "toda sogra gostaria de ter" por serem integros e bem sucedidos profissionalmente

A única coisa que tinham de diferente era o sexo. Um era uma hulher, outro era um homem, biologicamente falando.

Mas o que fez com que nenhum dos dois desse certo comigo?

Eles tinham a incrível capacidade de, caso eu não tomasse nenhuma atitude para me "divertir", de ficarem, talvez uma semana sentados ao meu lado sem falar em sexo e nem sequer dar uma olhadinha sexy ou fazer uma mão boba.

Eu me sentia como o único responsável pela diversão. 

Já sentiu isso?

Para quem, como eu, detesta expectativas, isso era irritante, beirava o tédio e a chatice.

Algumas pessoas, independente do sexo, agem de forma muito passiva na relação, como se eles fossem objetos a serem usados.

Obviamente existe algum trauma a ser trabalhado ali, mas para iniciar qualquer psicoterapia é preciso que a pessoa tome consciência, primeiro, de que algo nela pode ser "otimizado"...

Também é óbvio que existem pessoas que gostam de ser dominantes, que gostam de decidir por elas, e apreciam outras que são submissas, então talvez nada precise ser otimizado, seria apenas o caso de encontrar o parceiro "certo".

A "divertsão" é uma fusão de intimidade, alegria e espontaneidade, e isso culmina, entre um para amoroso, em "sexo divertido".

Se o sexo não está sendo divertido é hora de pensar como você, ou seu parceiro, manifestam intimidade, alegria e espontaneidade.