Curando seu trauma de abandono em relacionamentos

Curando seu trauma de abandono em relacionamentos por André Kummer - Imagem La Chapelle
David La Chapelle

É a velho história de alguém que vai embora. Tudo começa quando o diálogo acaba. Conversar e falar sobre sentimentos e emoções deixa de ter sentido. A frequencia e a intensidade sexual diminui, e então, um dia alguém decide ir embora. 

O abandono fere tão profundamente porque não permite respostas. Simplesmente você fica boiando em um mar de questões não respondidas.

O que deu errado? Por que não fez ou disse algo antes? Como eu não mais vê-lo chegando? O que eu fiz para para que você fosse embora?

Quando alguém de repente abandona seu parceiro quase sempre faz isso por causa de uma emoção secundária de vergonha. Quando ele sente raiva no relacionamento, ele também sente vergonha por estar com raiva.

Quando ele detecta que o relacionamento está falhando, ele sente vergonha de estar falhando. Ele não pode falar com o seu parceiro sobre o problema porque sente vergonha sobre o seu próprio papel na criação do problema. Não importa o que é acontecendo no relacionamento, sua resposta final é vergonha. Então ele foge. Ele abandona... Geralmente por outra pessoa.

Obviamente, quando o relacionamento esta insuportável ele não consegue ver um caminho para sair daquilo até que outra oportunidade entra na vida dele. 

De repente, ele aceita um emprego em outra cidade, vai morar com um novo namorado, ou simplesmente some. 

Ele não consegue enfrentar a vergonha avassaladora de ter que admitir que não consegue mais lidar com os problemas, então ele foge. Se é para os braços de outro alguém, ou para uma nova cidade, ou para a ficar sozinho... Não inporta. Ele vai encontrar uma desculpa conveniente para escapar da tirania da sua própria vergonha tóxica.

Os efeitos posteriores de abandono são devastadores para o abandonado. No vácuo criado por não encontrar resposta para suas perguntas e seus sentimentos não resolvidos sentimentos, ele quase sempre se culpa pelo abandono. Mesmo os mais confiantes ficam confusos.

Homens se retiram emocionalmente de situações com mais frequência que as mulheres. Mulheres foram ensinadas, culturalmente, a esporem suas emoções e conversarem sobre elas. Um homem, quando é exposto a situações onde precisa, ou mesmo gostaria, de expor suas emoções, não sabe muito bem como fazer isso, então o método fácil é fugir. Isso independe de orientação sexual.

A pessoa se retira para dentro de si e começa a viver uma vida privada, que , mesmo que esteja em um relacionamento, é separada deste. Ele suprime emeções e usa máscaras e disfarces quando está perto do outro, apresentando uma versão enviesada versão de si mesmo.

Homens que se retiram emocionalmente de relacionamentos se queixam de que seus parceiros não os entendem, e, portanto, saber o que está a ponto de revelar sua verdadeira pensamentos e sentimentos para ele.

E, embora isso possa ser verdade, agora que ele é retirado, o que escolha faz o parceiro tem mas para não entendê-lo?

A retirada emocional é muitas vezes desencadeada pela invalidação. É como se uma das pessoas falasse e falasse, repetindo infinitas vezes algo que o outro parece não escutar. Então ele se sente invalidado... Que o que ele diz não tem valor, é inválido.

O sentimento é de que o seu parceiro não entende ou não é dispostos a ver o seu lado da história. 

A invalidação pode ser tão simples como o alguém que cozinha macarrão todo dia, ignorando o fato de que seu parceiro não gosta de macarrão e que vê isso como uma invalidação. 

Ou pode ser tão grande quanto alguém que diz a seu parceiro que o motivo dele ter batido o carro é que ele é um idiota.

Independente da causa a invalidação provoca a retirada emocional. Eventualmente, é possível que o invalidado se desligue completamente.

Abandono emocional é um espada de dois gumes. Não só é traumático para a pessoa que está abandonado, mas muitas vezes vem da angústia experimentada por aquele que abandona. 

O abandonado se sente solitário, isolado, e rejeitado. Ironicamente, o que abandona sente o mesmo.