Curando seu relacionamento ambivalente

Curando seu relacionamento ambivalente por André Kummer - imagem de Jim Carrey por David Lachapelle
Jim Carrey por David Lachapelle

Um tipo sutil de trauma em relacionamentos é criado quando estamos conhecendo uma pessoa que nos atrai muito sexualmente, é carinhosa e gentil, mas uma vez que ela sente que nós estamos seriamente envolvidos e buscando mais intimidade emocional, ela recua e torna-se emocionalmente distante e ausente.

Não existe drama algum, apenas ausência, mas é tão doloroso quanto qualquer outro trauma amoroso.

Uma relação ambivalente entre dois homens ocorre quando um dos parceiros seduz o outro mostrando a si mesmo e as suas vulnerabilidades, mas quando o outro realmente se envolve, e começa a ser atencioso e carinhoso,  ele foge emocionalmente, ou fisicamente, quando não começa até mesmo a ser desnecessariamente crítico.


Mas, uma vez que ele sente que ele pode perder o outro, ele retorna cheio de amor, humildade e um grande interesse sexual.

Quando o outro é novamente preso no relacionamento, ele se retira novamente. 

Este comportamento on - off é um mecanismo para evitar a intimidade e pode durar anos.

Isso confunde e desorienta qualquer um, e o ferimento traumático que cria é um processo lento, mas constante, que faz o outro questionar a sua própria sanidade mental.


O jogo funciona assim: Quanto mais distante você está, mais ele quer você, quanto mais próximo, menos ele tem interesse.

Alguns homens gays parecem gostar mais do jogo do realmente de amar alguém.


A pessoa que vive com outra assim, depois de algum tempo - que podem ser anos - chega a acreditar que ela é que tem algun problema.

O trauma do relacionamento ambivalente cria uma sensação de desamparo.

A sensação é de que, não importa o que você faça ou diga, não vai fazer diferença.


Enquanto à primeira vista, pode parecer que isso signifique apenas um relacionamento ruim, na verdade, uma vez que esse jogo é iniciado, ele cria uma crença que a pessoa é impotente para alterar ou influenciar positivamente qualquer outro relacionamento.


Muitos homens que experimentam essa sensação permanecem em um relacionamento assim porque eles acreditam que aconteceria o mesmo em qualquer outra relacionamento.

Eles costumam desistir e se contentar com o que tem. 

Relacionamentos ambivalente são tão prejudiciais quanto qualquer forma de agressão física ou abuso emocional, às vezes mais ainda, porque na total a relação pode parece segura, mas na realidade não é.

Todo relacionamentos tem altos e baixos, mas os "altos e baixos" dos relacionamentos ambivalentes são extremos e acabam com sanidade mental.

Todo potencial de amor, maturidade emocional e crescimento mútuo que um relacionamento maduro permite é perdido em um jogo que não tem vencedores.