As pessoas que nos irritam

As pessoas que nos irritam por André Kummer
@onewed

É natural e instintivo nos preocuparmos com nós mesmos.

Nos colocarmos em primeiro lugar é algo que aprendemos desde que começamos a andar.

Primeiro EU e depois os outros, e é claro, antes aqueles que são significativos, como familiares e amigos

Temos muitas pessoas que nós nos preocupamos e damos um bom dia, como o atendente da padaria, um motorista de táxi, a senhora idosa no banco da praça... Bem, podemos nos preocupar com eles enquanto eles não nos incomodam.

Mas e aqueles que nos incomodam?

Eu me conheço e sei que não sou uma pessoa paciente, e tenho uma espécie de personalidade exigente. Acho que as pessoas devem ser bem comportadas. Se você não se comporta bem, provavelmente vou achar, primeiro que sua mãe não o ensinou como deveria comportar-se.

Agora, em nosso mundo, temos muitos pessoas mal comportadas e irritantes com suas reações emocionais extremas.

Não foi diferente no passado, Já houveram muitas guerras, ditaduras e mortes por ódio, mas nesse momento as redes sociais AMPLIARAM o ódio e a irritação com o outro.

A diferença que podemos fazer é aprender com o passado e não repetir mais os infortúnios que aconteceram, mas como fazer isso?

Como podemos responder bem a uma pessoa que nos irrita?

Lembrar de alguma frase motivacional e positiva? Lembrar que Buda disse que tudo é sofrimento mesmo? Ou que Jesus disse que o Reino dos Céus não é desse mundo?

Isso não ajuda muito...

Se você quer eliminar a irritação tem que saber onde e o que está fazendo isso acontecer.

Estou irritado porque alguém ligou para mim muito cedo, estou irritado porque alguém insistiu em colocar cebolas na minha comida, estou irritado por causa da minha sogra ou do meu cunhado ou estou irritado por causa da corrupção e da política.

Na verdade as condições externas de sofrimento e irritação são sempre os outros. Mas tudo é uma sucessão de causa e efeito e uma vez que entendemos a causa podemos criar uma mudança, o que eu chamo de AJUSTE.

O autoconhecimento, que permite o autodesenvolvimento, é um AJUSTE que fazemos pessoalmente, não é um ajuste que você espera fazer em outra pessoa para que ela não irrite você.

Tanto no campo social quanto pessoal parece que manifestações pacíficas e o apoio a causas comprometidas com a ética e o bom senso são sempre o melhor caminho. 

Pessoas irritantes, desde o vizinho que coloca música alta até o politico corrupto, não respondem a lógica, ética e bom senso. Então você apela na forma da lei ou corre.

A outra possibilidade é matar oirritante. Mas parece que como já foi testada por muitos séculos e inúmeras guerras, essa forma de erradicação dos irritantes, ao menos, também não funciona perfeitamente.