O que é um relacionamento?


Definir o que é um relacionamento é difícil, não porque nos faltam definições, mas porque há muitas definições.
Eu penso que um relacionamento é quando algo extraordinário acontece.
Apesar dos relacionamentos ocorrerem dentro de uma estrutura elementar eles também ocorrem dentro de um determinado campo de fenômenos onde as coisas vão além fluxo normal.
Então de vez em quando algo acontece, e é como se mudasse as regras do que é possível.
Eles acontecem causalmente, mas de uma forma que mudam toda uma situação.
O milagre é quando um relacionamento se torna mais forte do que a sua própria capacidade de existir.
O milagre é quando aceitamos o outro, apesar de todos os seus defeitos, mesmo se não conseguimos aceitar os nossos.
POR QUE QUEREMOS UM?
Queremos um relacionamento, apesar de sabermos que não é tão simples assim, porque queremos o amor.
Tal qual os relacionamentos, o amor tem muitas definições.
Mas talvez não importe a definição, porque queremos a forma. A forma madura e verdadeira.
O encontro de pessoas inteiras, um enamoramento, um apaixonar-se, deixar-se levar, conduzir e ser conduzido, envolver e ser envolvido.
Em inglês fall in love que é apaixonar-se, mas fall é cair, como cair em amor.
Significa que para um relacionamento existir precisamos nos render ao amor, cair em amor.
Vamos dizer que você leva uma vida feliz. Você está bem com sua rotina, em seu trabalho, conhece todas possíveis histórias e conversas nas noites com os amigos e família. Você sai bebe e se diverte. Você conhece todo o blah, blah, blah...
Você não está amando, nem em um relacionamento, muito menos apaixonado.
Então, de repente, você tropeça na rua e alguém o ajuda a se levantar. É um homem ou uma mulher... E é o amor da sua vida.
Um encontro totalmente inesperado, mas o resultado pode ser de que tudo vai mudar.
Nada será o mesmo. Você percebe que por toda a sua vida esperou este momento único.
Você sabe, a ilusão do amor é: “Oh meu Deus, eu estava esperando toda minha vida por você. ”
Hoje, a probabilidade de tropeçarmos na rua e ficarmos lá atirados e depois levantar sozinhos e envergonhados é bem maior.
Então vamos buscando soluções e talvez estejamos quase voltando no tempo, quando as conexões de casamento ou de amor eram uma questão a ser conversada com os parentes, amigos e conselheiros.
Os pais, tios, amigos, vizinhos e até o padre selecionavam e indicavam os “bons partidos”.
Agora, ao invés de todos aqueles velhos tios sábios, os aplicativos e as redes sociais promovem encontros “inesperados”.
O que eles nos oferecem é precisamente o amor sem a queda.
Sem cair no amor e sem todo esse encontro dramático totalmente imprevisível.
Esquecemos que um relacionamento é um encontro que existe por si só e é impossível controlar.

Ele cria suas próprias razões e causas.