O sabotador interno

Consegue ver a agulha na figura? É mais ou menos assim o Sabotador, está ali, você não vê, e a qualquer momento pode te ferir.


O Sabotador é essa criatura que habita nosso interior, e vaga pelas sombras, tentando passar despercebida, e destruir nossos mais amados sonhos.

Quem é esse demônio que nós criamos?

Para Caroline Myss, em seu ultimo livro “Arquétipos: Quem é você?” (2013, Ed. Magnitude), o Sabotador pode ser o mais difícil de todos os arquétipos de se compreender, porque o seu nome está associado com traição.

Entretanto, o propósito deste arquétipo não é a sabotagem de nossos sonhos e objetivos, mas nos ajuda a aprender os muitos modos nos quais nos enfraquecemos (como enfraquecemos a nós mesmos).

Com que frequência coloco novos planos em movimento, somente para perder o ânimo e permanecer do mesmo modo, devido aos medos que debilitam estes planos otimistas?

Ou começo um novo relacionamento e então o destruo, porque começo a imaginar um resultado doloroso?

Posso começar um relacionamento importante com outra pessoa e de repente me encontro novamente em um conflito de poder que poderia ser estabelecido pacificamente – mas caio no mesmo padrão destrutivo porque tenho medo de que a outra pessoa possa me ferir. O medo do outro.

Os medos e os problemas do Sabotador estão relacionados com a baixa autoestima que nos leva a fazer escolhas que impedem a nossa capacitação e o nosso sucesso.

Como com a Vítima, precisamos encarar este poderoso arquétipo que todos nós possuímos e torná-lo um aliado.

Quando fizermos isso, perceberemos que ele chama nossa atenção para as situações nas quais estamos em perigo de ser sabotados, ou de nos sabotarmos. 

Uma vez que estejamos confortáveis com o Sabotador, aprendemos a ouvir e a prestar atenção a estes avisos, preservando-nos da tristeza inenarrável de cometer os mesmos erros inúmeras vezes.

Ignorem-no, e o Sabotador sombra se manifestará na forma de comportamento autodestrutivo e com o desejo de enfraquece-nos.

Para aprender como se tornar consciente da ação do Sabotador interior, faça a si mesmos estas perguntas:

Quais os medos que têm mais autoridade sobre mim? Listem três.

O que acontece quando um medo me surpreende? Isto me torna silencioso?

Eu permito que as pessoas falem por mim?

Eu tenho permitido que oportunidades criativas sejam ignoradas?

Quão consciente eu estou no momento em que estou me sabotando?

Sou capaz de reconhecer o Sabotador em mim e nos outros?

Caso afirmativo, como ele é?