O essencial é invisível aos olhos


De onde surge essa fantasia de que nós não precisamos de ninguém?
Claro que eu preciso! Claro que você precisa! Claro que nós precisamos!
Temos a tendência a achar que no passado, na nossa infância, o mundo era melhor, as famílias eram mais unidas, tínhamos amigos de verdade e Papai Noel existia.
Como não encontramos mais esse tempo e esse mundo falamos "Fodam-se".
A cada "Fodam-se" ouvido, eu escuto: "Eu repudio você porque não supre o que considero essencial!"
Você não me dá amor, então repudio você...
Você não me dá respeito, então repudio você...
Você não pensa como eu, então repudio você...
Como consequência da carência de legitimação e reconhecimento provocada pela falta de laços amorosos, as pessoas consomem.
Consumimos coisas, depois consumimos estilos de vida, e então consumimos pessoas.
Esquecemos que pessoas e formas de pensamentos não são consumíveis, elas precisam ser entendidas antes de falar "Fodam-se!".
Esquecemos que a simples posse de algo não consegue dar conta dessa necessidade que o humano tem de entendimento. A necessidade que o humano tem de relacionamentos.
Gente tem necessidade de gente.
Mas que tipo de gente você precisa? Apenas as que pensam como você?
Que tipo de gente o mundo precisa?
Todos os tipos!
A palavra TODOS inclui diversas pessoas realmente repulsivas, desde o imperador romano Nero até a quase totalidade do Congresso Nacional Brasileiro.
Pensar assim pode nos deixar desconfortáveis e vulneráveis. Mas é somente através da vulnerabilidade que conseguimos criar novas formas de diálogo com o outro sem precisar dizer "Fodam-se!"
Queríamos que o mundo e as pessoas fossem exatamente como nós pensamos que deveriam ser.
As vezes o que queremos não é o que precisamos!

O essencial é invisível aos olhos...

O QUE É ESSENCIAL PARA VOCÊ?